comidas sem calorias

Para comer bem e de forma saudável fora de casa deve-se preferir preparações simples, sem molhos, e sempre incluir salada e fruta nas refeições principais.

Evitar restaurantes com rodízio e self-service e dividir sobremesas doces, são boas dicas para evitar o excesso de calorias, que é especialmente importante para evitar o “efeito ioiô” depois de conseguir emagrecer com uma dieta planejada.

1. Como escolher melhor o prato principal
O prato principal ideal deve conter os seguintes alimentos:

Proteína: deve-se dar preferência aos peixes e às carnes magras, como frango e peru. Para reduzir as calorias das carnes, deve-se retirar as peles do frango e do peixe e as gorduras visíveis da carne, além de evitar as frituras e os empanados;
Carboidrato: arroz, macarrão ou batata;

Leguminosa: feijão, milho, ervilha, grão de bico ou soja;
Salada: deve-se dar preferência às saladas cruas e, se possível, comer a salada antes de iniciar o prato principal, pois ela irá reduzir a fome e aumentar a sensação de saciedade.

também é importante evitar colocar molhos calóricos na salada, como a maionese, e não adicionar petiscos à refeição como camarão, azeitonas e torradinhas pequenas.

 

2. Quais são os molhos mais saudáveis
As melhores escolhas para molhos são o molho de tomate, o vinagrete e o molho de pimenta, pois são ricos em vitaminas anti-oxidantes e adicionam poucas calorias ao prato. Deve-se evitar molhos com creme de leite e queijos.

 

3. Qual a melhor bebida
De preferência, beba água, pois ela irá ajudar a preencher o estômago e a satisfazer o seu desejo de beber líquidos durante a refeição sem adicionar nenhuma caloria.

Outras opções saudáveis são sucos e chás gelados sem açúcar. Também deve-se preferir as versões naturais das bebidas, pois os produtos industrializados contêm corantes e conservantes que podem ser tóxicos para o organismo quando ingeridos em grande quantidade.

 

4. Sobremesa ideal
A sobremesa ideal é fruta. Além do sabor adocicado, as frutas hidratam e fornecem vitaminas e minerais que irão ajudar na boa digestão e contribuir para o bom funcionamento do organismo. Se o desejo por doces for incontrolável, uma boa dica é dividir a sobremesa com alguém.

Frutas para sobremesaFrutas para sobremesaÁgua, sucos naturais e chás gelados para beberÁgua, sucos naturais e chás gelados para beber

 

5. Melhores escolhas de lanches
Ao fazer os lanches fora de casa, prefira vitaminas de frutas, saladas de frutas, gelatinas, sucos naturais ou iogurtes com sementes como aveia e linhaça.

Se quiser ainda mais alguma coisa, o pão com manteiga ou com queijos brancos e alface é a melhor escolha.

Se os salgados forem a única opção, deve-se preferir os que são assados no forno e evitar as frituras e as massas folhadas. Veja mais exemplos de lanches saudáveis fáceis e rápidos em: lanche saudável.

6. Dicas para não exagerar quando comer fora de casa
Algumas ótimas dicas para não comer além da conta, ingerindo mais calorias do que o necessário, são:

Não ganhe calorias com o que não gosta. Se você não é muito fã de linguiça, por exemplo, não coloque no prato só porque ela está com uma boa aparência ou porque alguém falou que a linguiça daquele restaurante é maravilhosa;

Na pizzaria, deve-se evitar as bordas recheadas, o catupiry extra e os sabores que trazem bacon e linguiça, pois são fontes calóricas que podem ser substituídas por ingredientes mais saudáveis, como cogumelos e frutas;

Vá na frente na fila do self-service, assim seus colegas não irão te influenciar com as escolhas deles;

No restaurante japonês, deve-se evitar as versões fritas das preparações, como hot roll, guiozá, tempura;

Deve-se tentar levar os lanches de casa, pois assim é mais fácil fazer uma escolha saudável e evitar as tentações da lanchonete.

Também é importante evitar refeições prontas industrializadas, pois são ricas em conservantes e produtos para realçar o sabor, que podem causar irritações no intestino e até câncer.

Saiba também como não engordar nas viagens: acesse o site oficial para saber mais https://transformacaocorporal.net/

Anúncios

Erros que acabam com os relacionamentos

erros-relacionamentos-

Nem todo amor do mundo basta para manter um relacionamento. É preciso também ter respeito, paciência e saber aceitar as diferenças dos parceiros. Mas a vontade de fazer dar certo e de construir uma relação duradoura faz com que muitas mulheres, mesmo com as melhores intenções, ajam de forma impulsiva e acabem tendo um resultado contrário ao esperado, prejudicando a relação e às vezes até fazendo com que ela chegue ao fim.

 

Leia também:

 

Príncipe encantado ou sapo: os dois termos podem atrapalhar o amor

 

É possível perdoar uma traição? Especialista opina

 

Diferença de idade no relacionamento: ajuda ou atrapalha?

 

“É preciso que homens e mulheres vivam relações de trocas, parcerias e de tolerância as diferenças. Relações mais imaturas são baseadas em competição, poder x submissão, força x fraqueza e esses comportamentos são motivo de afastamento de ambos os parceiros pois produzem relações hierarquicamente desniveladas”, explica a psicóloga Cristiane Pertusi.

 

Principais erros nos relacionamentos

Ela diz que uma das principais atitudes que as mulheres fazem errado na relação é se casar rápido demais a apaixonada demais, sem ter tipo tempo para uma convivência maior com o namorado. “Vejo que muita gente se casa sem ter claro se a escolha do parceiro é boa, se há compatibilidade de estilos para convivência… O que importa é casar. A escolha é feita no momento de muita idealização e simbiose da relação”, diz.

 

Isso acontece porque, ainda hoje, a sociedade vê o casamento como uma necessidade, especialmente para as mulheres. “Às vezes existe certo status em dizer que se casou, que não ficou ‘para titia’. Mesmo que tenha ficado casada por pouco tempo, pois o status de ser separada é melhor e mais confortante internamente do que ser ‘solteirona’”, afirma.

 

A facilidade com que as pessoas se separam também é um erro, já que leva muita gente a se casar acreditando que, se não der certo, basta se separar. “É quase como se o casamento fosse o objetivo final e não o começo. Isso resulta em períodos de casamento com tempo ‘relâmpago’”, diz.

 

Ela diz que, para casar, é preciso refletir sobre seu estilo, seus costumes e sobre a capacidade de compartilhar, dividir e partilhar ideias e posturas diárias, pensar que o casamento é o começo de uma vida a dois, de um trilhar juntos que requer tolerâncias às diferenças e ao desejo do outro. “A chave para relacionamentos duradouros é maturidade emocional de seus parceiros. E quando houver crises no casamento, que ambos tenham motivação para superar juntos”.

 

A psicóloga destaca ainda a importância de a mulher ter independência profissional e financeira, mas se não souber lidar com essa autonomia e dosar a liberdade, pode ser um fator de dificuldade para manter uma relação afetiva. “Para poder relacionar-se com outra pessoa é preciso saber estar junto com certo grau de equilíbrio, onde ambos permitem-se brilhar, ora um tem prioridade ora o outro… E esse movimento emocional requer certo grau de maturidade e disponibilidade interna emocional de ambos”, diz.

 

Quando o assunto é amor, até onde você iria? O teste te ajuda a descobrir: